O MEDO DE SE TORNAR UM DISCIPULO


O meu orgulho, minha posição
A minha vontade de ser auto suficiente.
Tenho medo, tenho medos, tenho incertezas.
A minha filosofia, sempre foi a meu favor,
Os meus gostos, ah, os meus gostos.
Sinto-me tão bem vivendo-os.
Na verdade penso que não sei se poderia
Acostumar-me a modo diferente.
Tenho manias, tenho maneiras, tenho paradigmas.
Penso que se quebrá-los, estarei quebrando a mim mesmo por completo.
Sou o retrato, do ser humano mais exato,
Que confrontado com a verdade
Ainda tento me esconder detrás das minhas argumentações falsas.
A tua palavra, ah, a tua palavra me é cortante,
Porque é verdade pura, valor absoluto.
E tenho medo até do que ela revela em mim.
Tenho medo, tenho medos, tenho posses.
Possuo o meu jeito que querer do meu jeito.
Possuo a mim, e acho que me encontro nas minhas certezas.
Penso que sou feliz assim, meio do meu jeito.
A tua palavra, me é cortante,
Porque a tua verdade me incomoda.
E tenho medo de novas direções,
Horizontes desconhecidos, perdas absolutamente certas.
Tenho medo dos confrontos com os meus valores.
Tenho do que pensam, do que pensarão.
Tenho medo do que olharão.
Tenho medo da rejeição daqueles que me cercam.
Tenho medo das perdas
A tua verdade, ah, a tua verdade me mexe.
E tenho medo do que estou acostumado.
Medo de perder o controle, medo de soprar para qualquer lugar,
Medo de não saber onde vou sentar e encostar a cabeça,
Tenho medo de dar o outro lado da face,
Medo de aprender a perdoar.
A minha posição, o que tenho, o que sou, o que conquistei…
Tenho medo de ser humilde, medo de ser pequeno…
Escorre dentro em mim a guerra com tua verdade
E eu vou me perdendo dentro em mim agarrado ao que amo.
Sinto o medo em meu peito,
Medo de ser discípulo.
Medo de ser de Deus.

São Luís, 31.01.11

Jahilton Magno

A FÉ SEGUIDA DE OBEDIÊNCIA


A partir de hoje vou colocar uma série de reflexões acerca do livro de Gênesis (especificamente o cap 22) a respeito da vida de Abraão e o sacrifício que Deus exigiu que Ele fizesse como prova do seu amor ao Senhor. E vou inicar com o tema A fé seguida de obediência.
“E aconteceu depois destas coisas, que provou Deus a Abraão, e disse-lhe: Abraão! E ele disse: Eis-me aqui. E disse: Toma agora o teu filho, o teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre uma das montanhas, que eu te direi. Então se levantou Abraão pela manhã de madrugada, e albardou o seu jumento, e tomou consigo dois de seus moços e Isaque seu filho; e cortou lenha para o holocausto, e levantou-se, e foi ao lugar que Deus lhe dissera.” Gênesis 22.1-3
Após longas e inesquecíveis experiências com Deus, ao longo de penosos e doloridos anos de vida; depois de acertos e erros, de momentos de maturidade e outros de meninice; após momentos de dor e sofrimentos, de alegrias e vitórias; após pecados e erros os mais variados possíveis e inimagináveis; após também circunstâncias em que viu a glória do Altíssimo e o Seu poder diante de fatos que não encontraria explicações humanas, Abraão talvez chega ao momento mais importante da de sua caminhada com o Senhor. Vê a promessa de Deus se cumprindo, dando-lhe um filho já na sua velhice, assim como de sua esposa Sara.
E depois de vê-lo nascer, e começar a crescer o Senhor o coloca à prova pedindo-o a sacrificá-lo. Deus sabia que era o único filho de Abraão, foco do seu amor, motivo da sua alegria, prazer do seu coração, brilho dos seus olhos, valor inestimável, orgulho da sua alma. Enfim, o filho de Abraão era o seu tudo, a sua razão de vida. Mesmo sabendo de tudo isso, Deus o pede como sacrifício como prova do seu amor.
Será o que se passou na cabeça da cabeça desse pai? Que Deus é esse que dá e depois pede de volta? Que Deus é esse que alegra e depois vem entristecer? Que Deus é esse que faz uma promessa de que eu serei pai de multidões se o único que tenho Ele acaba de me pedir? Como é isso? Como se dará isso sem que eu tenha um filho? Talvez essa e mais um milhão de hipóteses podem ter passado pela cabeça de Abraão porque acima de tudo ele era ser humano. A sua constituição é a mesma minha e tua, ele não foge do padrão do ser humano, com todas as sua ambiguidades morais, todas as suas mazelas comportamentais, e todas as suas falhas de caráter atitude.
Embora tudo isso, Abraão, e certamente passar a noite toda pensando nesse momento, passando toda ela sem dormir – talvez a mais mal dormida ou não dormida da sua vida – Ele toma uma atitude que é digna de fazê-lo certamente estar com seu livro não somente gravado na bíblia, mas gravado na eternidade de Deus: Então se levantou Abraão. Fé seguida de Obediência. Impossível ter fé sem que ela seja seguida de uma atitude. Todas as nuvens de dúvidas que existiam na cabeça de Abraão se dissiparam quando ele toma a atitude de ir. E o IR de Abraão confronta-se com o fato de que, embora indo, nada está acontecendo. Isso é fé: é caminhar o caminho proposto por Deus, mesmo não vendo absolutamente nada a frente, mas tendo a certeza que Ele está no controle de todas as coisas.
O grande desafio que nos fica proposto hoje é qual sacrifício temos que fazer para demonstrar a nossa fé ao Senhor. O que amamos mais que a Deus? O que nos faz nos sentir presos a ponto de não o colocarmos nas mãos de Deus? O que temos dado tanto valor a ponto de não ouvirmos a voz de Deus e obedecê-la? Amigos, prazeres do mundo, familia, trabalho? Ou o nosso próprio orgulho? O que quer que seja, Deus espera que nos levantemos em fé e obediência a sua palavra.
NaquEle que deve ser amado mais que tudo.
Jahilton Magno
São Luís, 10.01.2011