FELIZ ANIVERSÁRIO

Faz tempo que não escrevo nada no blog, fruto da minha falta de leitura da palavra. mas resolvi escrever a uma amiga simplesmente parabenizando-a pela seu aniversário. Gostei e resolvi postar
"Querida, todos os dias são especiais por demais, mas Deus na sua infinita e incontestável sabedoria fez o dia do nosso aniversário ser, além de especial, muito diferente. Nele, os nossos olhos olham para as coisas que outrora eram desvalorizadas, agora como algo que tem a grandeza e a magnitude de Deus. Percebemos alegria onde não tínhamos nos dado conta; reconhecemos cuidados e livramentos de Deus, onde antes víamos acaso; vemos importância em pessoas, que outrora não saberíamos o real valor que devem ter; vemos em nós alguém que inegavelmente foi criado por Deus com amor, desde a fundação dos séculos, onde antes não achávamos valor algum. Enfim espero que neste dia especial, você consiga perceber ainda mais o amor de Deus por você, e possa juntamente viabilizar pelo menos as nuances das coisas e pessoas valorosas que te cercam ou te cercaram um dia!!!
Feliz aniversário, irmã... É sincero, é de coração, é verdadeiro, é autêntico

Beijo no coração.

Em Cristo que te criou em amor neste dia

Jahilton Magno

24.11.10

A INFELICIDADE DE NÃO SABER O QUE SE TEM


“E TINHA NOEMI UM PARENTE DE SEU MARIDO, HOMEM VALENTE E PODEROSO, DA FAMÍLIA DE ELIMELEQUE; E ERA O SEU NOME BOAZ.” Rute 2.1
A personagem do nosso texto era detentora daquilo que poderíamos chamar ‘sorte’. Por que? Porque era simplesmente parenta próxima de uma das pessoas mais importantes da sua cidade: BOAZ. Ele era rico, homem de posses. E ela fora casada com o irmão dele, que havia falecido. Quem não gostaria hoje de ter um parente rico? Mas o que tem isso a ver com o bate papo daqui do site onde trato sempre de coisas da vida? Sobre o que quero tratar?
Isso é vida. Talvez não nos atermos para as entrelinhas da narrativa, faça-nos perder relampejos de sabedoria que poderão nos ajudar a melhorar a vida, como ensinamentos de Deus para cada um de nós. Noemi vivia um dos momentos mais complicados da sua história: vivia numa cidade distante da terra natal, perdeu o marido, filhos, uma das noras, volta para sua cidade viúva e sem bens e agora está à mercê da sorte, sem dinheiro e sem condições e opções de trabalho. Quer um quadro mais horrivelmente pintado? Certamente não. Mas o que me chama a atenção nesse instante é poder me ver na mesma situação de Noemi em vários momentos da vida. Se bem que isso não me intriga mais do que perceber que tenho a mesma atitude dela quando inserido num contexto complicado na vida. As dificuldades, os problemas, as portas que não se abrem, a enfermidade que não termina, o relacionamento que não vê solução para as intrigas, o coração que não se aquieta diante da solidão, quando em tanto tempo ele busca companhia, a aprovação num curso ou concurso... Enfim, diante dessas situações e inserido em uma delas, perco a chance de ver que a benção está mais perto que eu imagino, perco a possibilidade de avistar aquilo que na verdade eu até tenha. Mas que, por tanto tempo focando a atenção total no infortúnio, roubado pela crise, achatado pelo desconforto, sufocado pelas dores, deixei de ver que TINHA.
A benção de Noemi estava ao seu lado, a sua crise tinha fim mais rápido que ela imaginava, porque TINHA ela. Entretanto, ela, em momento algum, conseguiu interpretar o seu momento com outra visão e ver as possibilidades que TINHA. O importante dentro de qualquer processo de adversidade que se esteja inserido não é nem o fim como as coisas tomam um ensejo final, mas o comportamento que se tem ao longo dessa experiência. Pois tenho a absoluta certeza de que nessa aparentemente infindável nuvem de infortúnios que eu esteja vivenciando, eu sei que TENHO, e TER CERTEZA disso vai fazer uma enorme diferença no meu comportamento e nas interpretações que vou ter do momento que estou tendo a oportunidade de viver.
Assim, Deus ensina que até nos momentos que em que achamos que não temos, podemos ter a certeza que Ele já nos deu, e que o necessário para a jornada da vida está tão mais a nosso alcance do que pensamos, mas que em muitos casos não percebemos ou não perceberemos pelo simples e definitivo fato de que não estaremos interpretando as circunstâncias com uma ótica saudável e coerente.
Neste instante eu não sei em qual circunstância você possa estar enquadrado, mas tenho certeza que assim como Noemi, você TEM e não esteja tomando consciência disso. Talvez você tenha muito mais do que imagina, talvez o de que precisa esteja dentro de si próprio, dentro da sua capacidade, dentro das suas habilidades, dentro das suas competências, dentro das qualidades que na verdade Deus já colocou em você. Mas esteja igual Noemi: chorando e sem esperanças, sentindo-se fracassada e fadada à morte, sofrendo e de cabeça baixa. Mas o momento quem sabe não é para lamentar, mas enxergar possibilidades, o momento é para vislumbrar posses, certificar-se que mesmo em meio a tanta dor, sofrimento, angústia, saudades, lamentações, dissabores e perdas, tenho que saber que TENHO. E TER pode em muitos casos não ser o fim de um infortúnio externo, mas a certeza de que o infortúnio e o inconveniente da alma têm fim porque a graça de Deus me alcançou e me deu a oportunidade de ver as circunstâncias por uma ótica diferente e saudável, abençoada e revigorante.
TER, talvez possa não ser o fim dos algozes em minha vida, mas a atitude que vai gerar dentro em mim fará diferença sobremaneira em relação ao andamento do processo ao longo da caminhada no qual estou inserido. Deus espera que, mesmo em meio a um turbilhão de contrariedades vividas, eu tenha consciência de que TENHO. E nesse momento a maior posse é o SENHOR. Sim, embora tudo seja visto como às avessas do que eu desejaria para a minha vida, eu posso saber que tenho o SENHOR sempre e sempre. E isso tem que ser aceito como suficiente. Pois Ele disse: A MINHA GRAÇA TE BASTA.

Em Cristo, que ensina que o 'ter' é mudar circunstâcias

Jahilton Magno

São Luís, 31.07.10

jahiltonmagno@yahoo.com.br
magnopoema@hotmail.com

A POEMA PERDIDO


Vi um poema deslizar pelas mãos de um poeta
Porque o poeta pensou que não sabia mais escrever poemas.
Esqueceu-se da tinta,
Esqueceu-se da pena,
Esqueceu-se da vida.
Esqueceu-se da poesia.
O poema que estava em suas mãos,
O poema que esperava apenas a junção da tinta
Com a pena,
Com a vida,
Com a poesia,
Deslizou de forma tão calma e tão serena.
O poeta esqueceu-se de... Ser poeta.
Quando não concebeu dentro de si
A simples, mas tão maravilhosa fórmula
De misturar tinta e pena,
E vida,
E poesia.
O poeta deixou deslizar o poema pelas suas mãos,
E não percebeu que deslizava pelas suas mãos também
A sua própria vida.

Jahilton Magno 10/04/06 às 19h47min em casa.

A PALAVRA SEMPRE SERÁ O REFERENCIAL


“Naquela época não havia rei em Israel.” Juízes 18-1 e 19-1

Fico pensando em quantas decisões erradas tomei na vida simplesmente pelo fato de que na verdade eu não sabia qual era a vontade de Deus para minha vida, não porque não a tivesse, mas porque não a buscasse e em muitos casos não a respeitasse, aceitando-a e cumprindo-a, como prova de submissão e obediência.
Mas eu não sou a única pessoa na história que já fez isso e também não sou o único que sofreu as conseqüências ruins das erradas escolhas que ao longo da vida abracei. A bíblia mostra um momento importante na vida do povo de Deus que também sofreu grandemente pelo simples fato de ter escolhido a sua própria vontade e não a de Deus. O relato desses dois capítulos nos mostra dor, morte, sofrimento, separação, assassinato, mentira, egoísmo e uma seqüência trágica de fatos que revelam a inteireza do caráter humano quando distante de Deus.
Tudo isso por quê? Porque “naquela época não havia rei em Israel”. Esse versículo não parece ter muito o que dizer, mas é de uma profundidade muito grande. O povo, depois de Moisés e Josué, começou a ser guiado pelos Juízes que traziam de Deus a palavra, a direção. Até então, não havia um Rei que lhe conduzisse e a ausência dele causou-lhe a vontade de, então, tomar suas próprias decisões.
A bíblia diz que sem profecia o povo se corrompe. E foi exatamente isso que aconteceu na vida dos israelitas. Não que não existisse uma palavra de Deus. Sempre houve a direção divina para o seu povo, mas naquela época eles preferiram agir por conta própria a ouvir a santa palavra. O resultado é o que se lê no restante dos dois capítulos.
Sempre nos corromperemos quando não tivermos uma palavra de Deus para nossas vidas; tomaremos decisões erradas guiadas pelo nosso egoísmo; abraçaremos causas tortas enquanto faltar a orientação de Deus; andaremos em caminhos errados enquanto não houver a profecia do alto; quebraremos a cara enquanto não acontecer uma direção divinas.
Até quando andaremos sem o norte de Deus, não pelo fato de que Ele não esteja sinalizando, mas porque estejamos endurecendo os ouvidos e fechando os olhos? A bíblia diz que NAQUELA ÉPOCA... Até quando será também a nossa época de tomar as nossas próprias decisões? Até quando caminharemos o percurso das nossas próprias escolhas? Até quando teremos o cinismo de achar que tudo está bem, quando na verdade  tudo vai tão mal, mas que não queremos assumir? Até quando seremos falsos conosco mesmos para não admitir que já estamos cansados de bater com a cara na parede e ir contra a vontade de Deus para nossas vidas? Até quando iremos de encontro ao plano que Ele tem para cada um de nós?
Se você está no caminho e tem convicção de que está indo na direção certa, amém. Mas se não, seja sincero consigo e evite maiores tragédias na sua vida. Porque a vontade de Deus é perfeita e andando nela poderemos estar nos guardando de sérios e talvez mortais laços do inimigo contra nossas vidas.
Em Cristo, que deseja nunca nos deixar sem a escolha da decisão correta.

Jahilton Magno
São Luis, 12.07.10

magnopoema@hotmail.com
jahiltonmagno@yahoo.com.br

DEUS IDEALIZAOU E PELA PALAVRA REALIZOU


PASSOS PARA UMA REALIZAÇÃO EM DEUS. TEXTO GENESIS CAP 01

01- SONHAR OU IDEALIZAR – É A PRIMEIRA PARTE DO PROCESSO. O SONHO É A REAL CONVICÇÃO DO INCONFORMISMO QUE ESTÁ DENTRO DE NÓS EM RELAÇÃO A ALGUMA COISA.
O primeiro principio é SONHAR. Isso mesmo, sonhar. Sonhar é o inicio de tudo. É o ponto de partida. O sonho é a real convicção do inconformismo que está dentro de nós em relação a alguma coisa.
O sonho é a insatisfação da pessoa criativa e inconformada. Quem está se sentindo bem onde está, não tem sonhos; quem está satisfeito com tudo do jeito que está, não gasta tempo sonhando. Somente sonhar já demonstra que você é criativo, isso é comprovado biblicamente. Todo sonhador é criativo.
Tem que haver um princípio, um começo, um ponto de partida. Na história do próprio Deus em sua engenharia de criar céus e terra, desenhar o modelo correto, fazer as divisões de terra e mar, dia e noite e pôr neste mundo Seu o homem e a mulher, e toda a sua seqüência, é descrita no gênesis, Ele inicia o projeto partindo de um ponto zero. Tem que haver antes de tudo um caos, uma deformidade e um vazio. Ele parte para a criação, para a existência daquilo que não existe. Não há nada sequer, é apenas um desejo, é apenas um sonho, é apenas uma vontade de que se tenha algo. No início, é somente isso. Tem que haver um sonho, pois tudo que existe na verdade nem existe; não existe projeto, nem sombra de projeto; não há alicerce, não há trabalhadores, não fundamentos, não há material; não há absolutamente nada à vista. Tudo o que existe é a certeza de que nada existe e que, a percepção da inexistência, é a prova de que se busca e se quer algo.
Esse desejo é indissociável da criatividade. Porque desejar que se torne existência algo dentro de um caos, é saber ser criativo. Criar algo onde nada existia. Fazer tomar forma e concretude, observar a inexistência e desejar trazer à realidade, é trazer dentro de mim as certezas das minhas semelhanças com Deus. E como Deus é criativo, eu inevitavelmente também o sou. Não tem como fazer com que isso seja não seja relacionado.

02- AGIR – É A SEGUNDA PARTE DO PROCESSO. SEM AÇÃO, SONHO NÃO PASSA DE VISAGEM. O IDEAL QUE NÃO GERA ATITUDE É, EM SI, SEM VIDA.
Criou Deus os céus e a terra – O sonho, a percepção do caos, o desejo de ver transformadas as situações, tudo isso em Deus não foi inerte. Não existe sonho inerte. Sonho que não gera atitude, arregaçamento de mangas, que não coloca as mãos na obra, que não sai a catar espigas igual a Rute, não é sonho, é visagem, é uma assombração no meio da noite ou do dia, é qualquer outra coisa, menos sonho. A bíblia diz que Deus criou. E criação tem a ver com ação, tem a ver com atitude, é um assobio de qualquer voz, é uma visão de qualquer outra natureza, menos um sonho verdadeiro. O próprio Deus não se isentou do trabalho, da labuta, da atitude e da ação. Deus tinha um ideal em seu coração, e as coisas começaram a tomar forma do nada, vieram a existir do inexistível, vieram a começar a se concretizar de onde somente havia esterilidade.
Esse é o processo de Deus, essa é a pedagogia que o Senhor no ensina através da sua palavra.



03- AVALIAR – É A TERCEIRA PARTE DO PROCESSO. SEM AVALIAÇÃO CONTÍNUA PERDE-SE O FOCO DO TRABALHO. IDEAL GERANDO ATITUDE TEM QUE PASSAR POR AVALIAÇÕES.

E DEUS VIU QUE FICOU BOM. Deus fez uma avaliação do andamento da sua obra. Ele não foi fazendo e caindo no erro do trabalho insensato e não medido. Pelo contrário, o trabalho era meticuloso, era calculado, era avaliado, era medido, era milimetricamente vistoriado pelo próprio Deus.
Então, disse Deus (v.11). Somente após essa avaliação, é que Deus continua o seu trabalho. Ele não continua sem antes constatar que o que está sendo construído está indo perfeitamente bem. O ver de Deus é algo extraordinário nessa passagem. Ele ainda não chegou ao fim do seu trabalho e consegue perceber passo a passo os resultados das suas ações. O desejo de ver o fim não pode me fazer cego para a realidade das conquistas advindas dentro do processo da caminhada. É incoerência trabalhar e não ver o resultado do trabalho. Enquanto o processo vai se dando, existe uma necessidade de ver, de perceber os avanços conquistados ao longo da caminhada rumo à realização do ideal. Deus ainda não tinha nem simplesmente começado o processo de criação do homem que seria a sua imagem e semelhança. Embora isso, Ele analisa, avalia e percebe que dentro de uma cadeia de coisas que estão sendo construídas, algumas etapas já estão bem visíveis. Faz-se necessário perceber que se está caminhando, que se está progredindo, que se está avançando, que se está chegando um lugar determinado dentro da estratégia e do plano estabelecido. Após dar continuidade a Sua obra (V. 12 e 13), mais uma vez Ele faz uma avaliação e a bíblia fala que essa construção e avaliação foram dentro de um prazo, que quer dizer que, mesmo o próprio Deus, utilizou tempo,  que assinala que passaram-se a tarde e a manhã. A prova maior de que existe tempo dentro do projeto de Deus e que Ele leva isso muito a sério.



04- CONTINUAR – CONSTÂNCIA – PERSEVERANÇA – O IDEAL SE CONSTRÓI DENTRO DO PROCESSO.

O ideal não é o fim em si. O ideal não é o processo em si. O ideal é a mistura do sonho, da criação, da ação, da avaliação, da continuidade e do processo que chegam a um fim determinado. Não existe dentro do processo de Deus um fim sem um começo; não existe um fim sem um processo; não existe um fim sem avaliação; não existe um fim sem continuidade; não existe um fim sem nenhuma dessas fases. Porque é impossível chegar ao fim sem levar em consideração cada uma dessas etapas. Tem que haver o princípio, onde são colocadas as fundamentações, os alicerces; tem que haver o sonho, onde se deseja, e o desejo, em nós homens, , leva-nos à oração, à busca de direção de Deus, à busca da benção de Deus.  É  assim que o início se dá, é assim que processa. E é impossível fugir disso, não se pode pular etapas.
Qualquer ideal que se queira colocar em prática, qualquer sonho que se queira realizar, qualquer alvo que se tenha como propósito diante de Deus e busca-se nEle, tem todos esses passos como regras inquebráveis e imutáveis.

Em Cristo, que nos mostra dia a dia que sonhar é realmente viver.
Jahilton Magno
São Luís, 29.04.10

O HOJE E O ÊXITO


“Faze com que hoje este teu servo seja bem-sucedido, concedendo a benevolência deste homem.” Neemias 1.11

Ser bem-sucedido talvez seja o maior dos objetivos de um ser humano. Seja na vida profissional, sentimental, familiar, enfim, alcançar êxito naquilo a que nos propomos torna-se uma das razões da própria vida. Mas o caminho ao êxito nem sempre é fácil e nem sempre é realizável. Para alguns é até impossível, intangível, e em muitos casos, é até impensável.

Primeiro porque para ser bem sucedido tem-se que primeiro ter uma coisa na cabeça: saber aonde se quer chegar. Sim essa é uma das primeiras tarefas que se deve ter idéia. Até porque ela estabelece um diferencial extremamente abismal entre onde se está e onde se quer estar em um futuro talvez próximo. Onde se está é ter idéia da real e atual situação. É saber diagnosticar as potencialidades, as limitações, os estados que trazem alegria, os que causam dissabor e inquietação. Onde se está tem a ver com transparência, com coragem, com convicção de não apenas declarar, mas de assumir como se vive, o que se está construindo de produtivo ou improdutivo, de verdadeiro e permanente, ou de infrutífero e apenas aparente.

Ser bem-sucedido é ter a capacidade de observar muito mais além do que aquilo que na verdade se apresenta como única certeza. Mas perceber algo mais nas entrelinhas dos fatos, dos envolvimentos, das amizades, dos valores, dos vícios e das convicções pelas quais se esteja preso ao longo da vida. Não se pode alcançar êxito sem se desprender do presente. Mas um desprendimento responsável, calculado. O soltar-se responsavelmente do hoje é criar liberdade para, a partir daí, dar passos em direção à excelência.

É impossível alçar vôo mais alto sem que não se consiga estar totalmente inconformado com o presente. A construção do futuro parte da atitude que se tem de inconformismo com o presente. É a necessidade de mudança. Ela causa percepções até antes inconcebíveis. Gera atitude diferente. Isso é início de liberdade e de construção. É ensaio para construções. É adubo para as fomentações talvez as mais inimagináveis aos olhos do ser humano, mas que sonhadas em Deus, tão possíveis e tão perfeitamente realizáveis.

O êxito, o troféu, os louros, as conseqüências das conquistas levam o seu buscador a um necessário desligamento com aquilo que é hoje, com aquilo que é temporal, com aquilo que é trivial; colocam-no num nível diferenciado de valores e o chocam com paradigmas agora ultrapassados e falhos. Existe então a reformulação dos valores, das atitudes.

As mãos agora se unem ao compromisso, ao alvo, ao novo, à mudança. Falar de tudo isso é refletir sobre esse versículo da bíblia que mostra como foi a atitude de um homem que se deparou com a sua cidade natal totalmente destruída e buscou êxito naquilo a que estava se propondo. Ele foi realista, soube diagnosticar seu momento, compreendeu e interpretou a sua situação e conseguiu olhar adiante o objetivo para o qual estava se direcionando daquele momento em diante. E embora chegasse a pensar em tudo isso e concluir que seu estado necessitava de mudança, não deixou Deus de fora dos seus sonhos em momento algum e pediu: FAZE COM QUE HOJE ESTE TEU SERVO SEJA BEM-SUCEDIDO. Por quê? Porque ele aprendeu que ainda que venha entender todos os mecanismos que levam a mudança, o verdadeiro êxito quem dá é o Senhor, pois construir em Deus é construir na eternidade.
Reflita nisso.

Em Cristo Jesus, nos mostra que o hoje não o estado terminal de sua obra em nós.

Jahilton Magno

São Luis,

15.04.09

PRESCIÊNCIA DIVINA


A vida,
A lida,
A luta
A labuta,
O coração
O perdão,
A renovação,
A decisão,
A morte,
A vida,
O inferno,
A eternidade,
A benção,
A maldição,
A agonia,
O alívio,
O abraço,
A intriga,
O amor,
A dor,
A satisfação,
A santidade,
O pecado,
Minha vida,
Minhas máscaras,
Minha realidade,
Meus sonhos,
Minhas fugas,
Meu conforto,
Meu prazer,
Minha vida de oração,
Minha procrastinação,
Meu viver,
Meu dever,
Meu saber,
Minha ignorância,
Meu pecado,
O que há de bom,
O que há de mal,
Minha família,
Meu passado,
Meu futuro,
O eu ser em ti,
O eu não ser em ti,
A minha construção,
A minha desconstrução,
O meu Senhor,
O meu Pastor,
Minha Rocha,
Tudo que sou,
Tudo que estou,
Está diante de Ti.
A Ti a glória,
A honra,
Pelos séculos,
Dos séculos.
Amém.

12.01.09

Jahilton Magno

PAZ DE DEUS À VOCÊ!


PAZ PRA VOCÊ E PRA SUA FAMILIA!!
PAZ DE DEUS,
PAZ DO ALTO,
PAZ CELESTE,
PAZ QUE CONSTRÓI,
PAZ QUE EDIFICA,
PAZ QUE RENOVA,
PAZ QUE ALEGRA,
PAZ QUE PERDOA,
PAZ QUE RESTAURA,
PAZ QUE SANTIFICA,
PAZ QUE TE FAZ SABER QUE NO ALTO ESTÁ O TEU ESPELHO DE PERFEIÇÃO,
PAZ QUE TE FAZ RECONHECER A TUA CONDIÇÃO DE NECESSIDADE DE DEUS TODOS OS DIAS,
PAZ QUE TE ENVOLVE DA PRESENÇA DO ETERNO,
PAZ QUE RENOVA TEU CASAMENTO,
PAZ DE DEUS,
PAZ DO FILHO,
PAZ DO ESPÍRITO SANTO,
PAZ DA SALVAÇÃO,
PAZ DA ETERNIDADE,
Q DEUS TE DÊ MUITA PAZ, PRINCIPALMENTE NOS MOMENTOS DE TORMENTA
E QUE VOCE SEJA GRANDEMENTE ABENÇOADO E AGRACIADO POR ELE

UM GRANDE ABRAÇO EM VOCÊ E FAMILIA

JAHILTON MAGNO.

TEMPO E INTELIGÊNCIA


“No tempo que lhe resta na carne, não viva mais para satisfazer os maus desejos humanos, mas sim para fazer a vontade de Deus.” 1Pedro 2.4 (Nova Versão Internacional)
Estou lendo um livro do filósofo Sêneca chamado Aprendendo a viver. O primeiro capítulo é chamado da Economia do Tempo, muito interessante e de um conhecimento profundo. Nas entrelinhas por exemplo ele nos deixa um pensamento muito sábio: “Podes me indicar alguém que dê valor ao seu tempo, valorize o seu dia, entende que se morre diariamente? Nisso pois falhamos: pensamos que a morte é coisa do futuro, mas parte dela já é coisa do passado. Qualquer tempo que já passou pertence à morte.” A vida quando observada criteriosamente pode mudar quando entendemos que o tempo rege tudo. O tempo pode nos ajudar em algumas ocasiões e em outras interpretamos que ele é nosso algoz. Às vezes o abraçamos com tanto carinho e em outras ocasiões lhe queremos distância como se algum mal nos fizesse.
Assim é nossa relação com o tempo. Mas ela não está restrita apenas a essas compreensões porque ela está muito mais acima disso. Compreender isso talvez nos faça escapar da procrastinação do tempo. Procrastinar é algo irrevogável. Não se pode voltar atrás daquilo que já passou, daquilo que já foi construído ou mesmo que deixou de sê-lo. Assim, a exortação de Pedro é que vivamos o tempo que nos resta de maneira diferente. Porque ele entende que, como diz Sêneca, qualquer tempo que já passou pertence à morte. Então se o princípio é esse, o modo de vida começa a ter que ter outro sentido porque tudo que ainda pode ser feito no tempo que resta, tem que ser feito segundo a vontade de Deus.
A perspectiva da vida muda, porque estarão se confrontando dois valores: os do velho homem e o novo homem. É a velha ordem versus a nova ordem. E elas existem dentro dessa realidade. Cada dia é como se fosse um dia a menos nesta vida e a possibilidade de uma construção a mais em Deus. E como viver? Esse é o cerne da questão. Qual o procedimento a adotar na vida para saber viver a vontade de Deus? Viver o novo, a contraproposta, o avesso, o diferente.
Esse sim seria o modo que agradaria a Deus. Seria o modo de saber aproveitar o tempo restante. Essa seria a sabedoria da viver cada momento da vida como um presente de Deus. Porque uma certeza tem de nos tomar: O RESTANTE DA VIDA TORNA-SE POUCO E MENOS AINDA QUANDO TOMAMOS CONHECIMENTO DE QUE ELA É MAIS TRANSITÓRIA DO QUE IMAGINAMOS. No versículo esta dito “tempo que lhe resta”, o que deve nos levar a pensar bastante sobre o tempo que ainda temos aqui, sobre este tão simples e corruptível corpo.
O que quer que construamos na vida, o que quer façamos ou deixemos de fazer, o que quer que sonhemos, o que quer que tenhamos como alvos de vida ou mesmo de lazer, quando colocado sob a perspectiva de Deus muda, porque em Deus existe uma troca de valores.
Fazer a vontade de Deus é a finalidade da vida de qualquer ser humano. Esse é o projeto, esse é o desenho de Deus, á a perspectiva que Ele espera para mim, estabelecendo um contraste entre a minha vontade que me leva a determinados fins e a divina que leva a outros.
Compreender isso é a vontade de Deus. Segui-lo é divino. E o equilíbrio nesse aspecto faz uma diferença enorme, porque olhar para a vida como algo realmente transitório é perceber que nela está a chance de poder construir em Deus ou fora dEle. Mas sempre com uma certeza: o tempo que vivemos, o fazemos sempre na direção de que se está chegando o fim e não o início, no que diz respeito à vida na terra, e o início do que seja a vida eterna.

Deus nos abençoe com sabedoria e força para viver a sua vontade.
Em Cristo Jesus, que nos chama para fazer a sua vontade.
Jahilton Magno
São Luis,
11.01.09

FÉ, VIDA E SOBREVIVÊNCIA


Nunca foi fácil lançar-se aos desafios, principalmente quando não se tem muita coisa palpável e visível no que diz respeito à certezas e recursos em mãos. Pois o medo do desconhecido é inerente ao homem, como também lhe é ainda que uma fagulha de vontade de conquistas. Mas o que o leva a lançar-se aos desafios da vida, ou mesmo deixar de fazê-lo?
Quando penso em fé, vem-me a mente muito mais do que eu tenha aprendido praticando-a, lendo sobre ou ouvindo das pessoas que a experimentaram. Logo, vejo-a não apenas como um dos alicerces da vida, mas como a própria sobrevivência. Sim fé é sobrevivência. Sobrevivência das minhas certezas, sobrevivência dos meus sonhos, da minha família, do meu ministério, ou de tudo aquilo que eu tenha como objetivo na vida. Torna-se relevante quando penso na própria conceituação do que significa SOBREVIVER. Segundo Aurélio “é continuar a viver, a existir após outras pessoas ou outras coisas; escapar, resistir; superar.” Viver e sobreviver, isso está ligado à fé.
Porque afirmo isso. Porque é impossível dissociar a vida da fé. O instinto natural pelo desejo de viver está enraizado no coração humano. É esse desejo que nos mantém vivos, é esse desejo que nos move dia a dia, é esse desejo que nos mantém firmes na busca de algo, é ele que nos direciona rumo às nossas conquistas e nossos anseios. E para que isso aconteça é necessário ter fé. Necessitamos acreditar em algo pelo qual lutamos. É necessário lançar-se ao desafio da sobrevivência e para fazer isso tem-se de ter agregado dentro de si a fé. Fé é isso: atirar-se na aventura da busca por algo que se almeja, tendo como única certeza a consciência de que isso vale a pena. Nesse momento, o medo se dissipa e tudo o que se consegue enxergar é o propósito da luta.
Luta pela sobrevivência. Foi isso que moveu Rute quando ela disse a sua sogra Noemi que iria catar espigas. E, partindo, a versão da Sociedade Bíblica Britânica diz que “a sorte a levou à parte do campo”. Ter necessidade de viver, de ainda construir em vida, levou Rute ao desafio de ir. Ela somente foi. Ela não sabia em qual campo iria catar espigas, mas sabia que tinha que ir. Ficar parada era a morte. Ir, pelo menos criava em seu coração esperança. Sim, a esperança da mudança, a esperança do novo, da concretização. “Então ela foi”. Talvez o que nos falta muitas vezes seja esse então foi como parte inicial de um processo de conquistas e de alterações na nossa história. O comodismo nos toma e nos arranca a esperança e a fé e a única coisa que nos faz enxergar são as complicações e barreiras que nos separam daquilo que é nosso objetivo.
Continuar a viver, a existir após outras pessoas ou outras coisas foi a mola propulsora de Rute. Mas é bem verdade que às vezes é cômodo demais ficar onde se está e não correr riscos, porque o conforto da estagnação é bem mais fácil de ser respirado que os ares do desbravamento na busca de sonhos.
Termino exortando você: então vá, dê o primeiro passo, vá em busca das suas espigas, lance-se ao desafio, mesmo não observando nada de concreto, palpável ou visível; inicie uma caminhada, pois a sobrevivência de algo que lhe é importante está em suas mãos.
Alegro-me em Deus que me faz acreditar nEle mesmo não vendo-o, embora as circunstâncias muitas vezes me joguem contra essa certeza, porque Ele sabe que eu preciso viver e sobreviver e o quanto é necessário isso pra minha vida.
Jesus Cristo, que diz que feliz aquele que não vê mais crê, a Ele a gloria pelos séculos dos séculos.
Jahilton Magno
São Luís,
05.01.09

PROJETO PARA 2010


“Adiantando-se um pouco, prostrou-se sobre o seu rosto, orando e dizendo: Meu Pai, se possível, passe de mim este cálice! Todavia, não seja como eu quero, e sim como tu queres.” Mateus 26:39.
Hoje é o segundo dia do ano. Ainda reina uma santa expectativa de esperança sobre os outros 363 restantes. E paira ainda no ar aquele sentimento de concretização de sonhos, de cumprimento de profecias de Deus sobre nossas vidas; ainda está instalada sobre nosso coração aquela sensação gostosa de que o que vem por aí é bom, porque boa e perfeita é a vontade de Deus. Essas impressões permeiam nossas volições, porque no fundo da nossa alma, o Senhor colocou essa necessidade de viver o projeto dEle para nossas vidas.
Mas viver esse projeto nem sempre é fácil. Jesus viveu o projeto de vida de Deus para sua própria vida. E alegrou-se ao vivê-lo, entristeceu-se ao vivê-lo, sofreu ao vivê-lo, comoveu-se ao vivê-lo. Mas viveu-o intensamente como a única via pela qual pudesse caminhar, embora tivesse escolhas. Jesus entendeu que para a concretização da eternidade era necessário abrir mão do transitório, que para a construção do valor eterno, seria necessária a inversão dos valores e dos prazeres.
Chegou o ano novo, e nele tomou-me o coração a idéia de que penso que talvez nunca tenha vivido um ano integralmente em Deus, com as suas conseqüências. Por que? Talvez pelo medo, pela falta de confiança, por não querer abrir mão daquilo que esteja tão apegado, tão agarrado, tão acostumado; talvez pelo medo de ver diferentes os planos, as direções e ter invertidos os valores. Mas viver um ano em Deus, é arcar com as responsabilidades que estão implicadas nessa decisão. Não é fácil, pois se o fosse Jesus não tinha dito ao Pai “se possível”.
Mas a transparência em saber assumir os riscos e falar das dificuldades sobre elas certamente é uma das bênçãos libertadoras nesse processo. Porque não se pode deixar de ser homem o suficiente para não declarar as lutas interiores, os conflitos existentes na alma, as guerras que permeiam o ambiente da psique. Há de se ser sincero para vomitar as inquietações, as dúvidas, os desesperos. Porque no fundo só consegue fazer isso quem entende e aceita que “não tem que ser feita minha vida vontade, mas a de Deus”.
Por refletir sobre essas coisas que tenho esperança de um ano mais abençoado, não olhando com aquela perspectiva da benção apenas material, mas a benção da paz de Deus reinando sobre minha vida, a benção da alegria de fazer o que me está proposto a fazer, a benção de produzir eternidade em meu coração e nos corações dos que me cercam.
Quero aprender de Deus a sabedoria de que construir na eternidade é inverter valores; construir na eternidade é assumir riscos; construir na eternidade é ser homem o suficiente para dizer a Deus que a minha vontade nesse processo todo tem que estar submetida à vontade dEle. Tenho 363 dias ainda pela frente e quero chegar ao final dele podendo dizer: até aqui me ajudou o Senhor, porque eu procurei fazer a Sua vontade.

Jahilton Magno

São Luis.

02.01.10

FELIZ 2010


Andei pensando sobre o que escrever neste primeiro dia do ano. Junto com o pensar sobre o que silabar por aqui vieram juntamente a reflexão sobre o ano que ficou e os planejamentos para o 2010.
Aí cheguei à conclusão que a reflexão sobre o 2009 me ajudaria a pensar sobre o ano que se inicia. E o que chamou mais a atenção sobre o balanço que fiz foi entender que o ano foi de oportunidades. Sim, oportunidades as mais diversas. Nesse ensejo, deparei-me com uma certeza que me encheu o coração de santa expectativa: A CERTEZA DE QUE EU TENHO QUE SABER APROVEITAR AS OPORTUNIDADES, até porque refletir sobre isso pode mudar o curso da minha vida e das pessoas que direta ou indiretamente me cercam ou que venham a me cercar um dia.
É assim que eu consigo ler o ano que passou, como um ano em que foi presentes um caminhão de oportunidades a mim concedidas por Deus. Umas, aproveitei, e como resultado, alcancei benefícios indizíveis; outras, para falar a verdade, não tive sabedoria nem mesmo para compreendê-las do ponto de vista de Deus para minha vida. Isso também acarretou muitas coisas ruins ao longo do ano e talvez ainda venham a refletir em todo o restante da minha caminhada.
Pensando nisso, entendo que o ano é novamente de oportunidades; mais um ano, mais uma chance de escrever, ou melhor, de reescrever a minha história, construir em Deus, sonhar em Deus, sonhar os sonhos de Deus para minha vida. Para isso a minha oração é bastante simples: DEUS, ME FAÇA ENTENDER, DISCERNIR E AGARRRAR AS OPORTUNIDADES QUE ME SERÃO DADAS ESTE ANO. Não é uma oração cheia de pretensões, mas é simples o bastante para me ajudar a entender que as pontes de Deus até mim são construídas diuturnamente, afim de que eu saiba que viver o tempo por Ele determinado é saber abraçar cada momento, julgando-os como chances eternas e com conseqüências eternas.
Tudo isso me fez enxergar a vida de forma diferente, pois acredito que até para que eu enxergue esses lampejos de bênçãos de Deus na minha, dEle mesmo também tenho que ter sabedoria para LHE pedir sabedoria... Sabedoria para saber interpretar o mover de Deus ao meu redor e a sua eterna e misericordiosa conspiração dos fatos a meu favor.
É uma oração muito simples essa que fiz, mas que traz à tona a imensa necessidade de ter que compreender aquilo que é ou não vontade de Deus. E que vivê-la irá transformar os dias de hoje e os dias futuros.

Feliz ano novo a todos. Que Deus abençoe.

Jahilton Magno

01.01.10