LUCRANDO COM AS PERDAS


"Quero ainda, irmãos, cientificar-vos de que as coisas que me aconteceram têm, antes, contribuído para o progresso do evangelho; de maneira que as minhas cadeias, em Cristo, se tornaram conhecidas de toda a guarda pretoriana e de todos os demais."


Temos a enorme facilidade de perdermos o controle das nossas emoções quando estamos inseridos dentro de uma situação na qual não temos sobre ela as rédeas. Isso é típico do ser humano. É assim quando nos deparamos diante de uma porta de emprego que não abre, quando ficamos sabendo da morte de alguém próximo, ou de uma doença diagnosticada. Enfim, em qualquer dessas ou outras situações que afligem a alma, é muito normal sermos tomados de sentimentos ruins, pensamentos negativos, e idéias contrárias e etc.. Somos invadidos por uma avalanche de sensações desconfortantes que causam em nós até mesmo desorientação emocional, espiritual, familiar, financeira. Isso é normal e tão corriqueiro em nossos dias.
A atitude contaria é que não é normal e é justamente a que espera Deus que tenhamos diante da vida. Porque Ele não nos chama para a normalidade, mas para o reverso dos atos. Agir normal é agir segundo o curso do óbvio, do esperado, d0o já aguardado, do que já está projetado e desenhado. Quando há atitude conhecida de todos, não há surpresa, pois andar segundo as expectativas do mundo em tais situações é simplesmente estar perpetuando o estilo que nunca consegue ver vantagem nas possíveis e visíveis desvantagens. Agir nessa tendência, nessa perspectiva significa abortar lições, represar um mar de possibilidades para o aprendizado, para o novo, para a construção, para a própria vida, privando-se de encontrar-se com benefícios advindos das tragédias.
Não há infortúnio que não possa trazer ensinamentos; não há contrariedades que não venham com baldes de aprendizados, que verdadeiramente só podem ser assimilados dentro de tais circunstâncias. O grande desafio está não em contornar tal situação, mas contornar o meu coração em relação a ela. Que reações serão frutos dessas experiências? Este sim é o grande desafio, pois é sobre esse alicerce que está pavimentada a estrada do amadurecimento e do crescimento.
O apóstolo Paulo está deixando-nos o ensinamento: pense diferente, aja diferente, olhe diferente, assuma uma postura totalmente contrária àquilo que prejudicialmente está acostumando a viver. Este é o benefício a ser aprendido, a ser assimilado, de forma que o discipulado está se cumprindo quando acha contribuição nos ocorridos tão indigestos da vida. O relacionamento acabou? O emprego foi perdido? Perdeu alguém próximo? Nada de sonhos ainda realizados? Quaisquer destas situações têm que encontrar em nossos corações vias de acesso que levem às contribuições aprendidas em Deus.
É extremamente importante que se possa saber compreender os fatos por uma ótica de Deus. É necessário viver assim em circunstâncias ruins e adversas, pois as crises e perplexidades estão para serem vividos a qualquer momento da vida. Saber compreender tais experiências como algo pertencente ao processo pedagógico divino é a lição que o Paulo nos deixa. E não basta apenas saber, mas saber se o que se sabe pode gerar benefícios, criar contribuições, servir de adubo para resultados crescentes e processos novos pelos quais é necessário viver no crescimento. O balde de aprendizados quer nos banhar a alma no ápice das ações dos nossos algozes, de modo que possamos nos limpar das atitudes normais e, assim, vestirmo-nos de ações e reações dignas de estarmos andando com Cristo e por Ele sendo transformados.
Paulo nos está deixando o caminho aberto para andarmos a lição dos proveitos, dos benefícios, dos resultados positivos que nos advém quando exercemos uma postura correta, esperada e ensinada por Cristo. As intempéries, em Paulo, cedem lugar ao crescimento, são a própria matéria prima para ir mais além, descobrir novidades, superar crises, concretizar crescimento da vida, experimentar algo ainda não provado.
Os acontecimentos da vida de Paulo (sua prisão e sofrimento) geraram avanços na pregação do evangelho, no fortalecimento da fé dos irmãos, avanços em sua própria vida.
E na sua, o que as suas realidades estão causando? Avanço ou retrocesso?
NaquEle, que transforma perdas em ganhos apenas com uma atitude correta.
Jahilton Magno
São Luis, 24.03.11

Nenhum comentário:

Postar um comentário

VOCÊ FOI EDIFICADO? DEUS FALOU AO SEU CORAÇÃO? FAÇA UM COMENTÁRIO PARA QUE OUTRAS PESSOAS SAIBAM!